Praça Batista Campos

Geralmente, os pontos turisticos de Belém são sugeridos por agências de viagens. “Visite isso, visite aquilo”. E por ai vai. No entanto, um lugar esquecido por essas muitas agências é a Praça Batista Campos. A praça funciona como um verdadeiro refúgio em pleno coração de Belém: árvores e natureza contrastando com a urbanização de Belém.

Para o senhor Afonso Genaro, que mora a 25 anos em frente a praça, “o lugar é uma boa lembrança de Belém que não existe mais”.

Icoaraci

Distante 18 km da região metropolitana de Belém, Icoaraci e sua orla cada vez mais ganham novos turistas, seja pela beleza natural ou pela produção artesanal, o lugar é sinônimo de paisagem que merece ser vista e apreciada.

Algumas ações do governo, como as revitalizações da orla e da Rua Soledade, contribuem para melhorar a qualidade de vida dos moradores da região, e consequentemente, dos que visitam Icoaraci.

Portanto, venha conhecer, tomar uma água de coco e relaxar!

Mangal das Garças

Muito verde, natureza exposta e pessoas para lá e para cá. Inaugurado em janeiro de 2005, às margens do rio Guamá, o Mangal das Garças é ponto de encontro de familias, jovens e da população de belém no geral.

O local conta com mais de 300 espécies de árvores nativas plantadas, matas de várzea e os animais da região. Os que frequentam o local pode visitar o Museu Amazônico da Navegação, o restaurante Manjar das Garças, o Viveiro das Aningas ou Viveiro dos Pássaros, o Farol de Belém, o Borboletário, o Criatório e Viveiro de Plantas e o Armazém do Tempo.

A entrada é franca. O visitante pode pagar três reais para ter acesso uma área, ou, nove reais para ter acesso a todas as áreas. Visite.

Bar do Rubão

Localizado na Rua Gurupá, entre a Rodrigo dos Santos e Cametá, na Cidade Velha, o bar do Rubão, conhecido pelos petiscos e a cerveja gelada, é um bom lugar para começar a esquentar pra noite, com um público variando de alternativo a roqueiros e entusiastas do reggae.

O dono do bar, Rubem Estevam, aprendeu a cozinhar com a tia. A “herança” atrai hoje em dia clientes que querem papear, comer petiscos e tomar cerveja gelada.

Rainbow

Gays, lésbicas, bissexuais, travestis e todos os outros se encontram na melhor bagaça de Belém: a Rainbow: localizada na Augusto Montenegro, atrás da escola Pequeno Principe.

A boate, que só funciona aos domingos, a partir das 17h, é ponto de encontro da comunidade GLBTT. As mulheres, de todos os tipos, das princesas as caminhoneiras fervem por lá. Tecnobrega, forró, dance, pop, axé pagode e tudo que faça dançar fazem as bees ferverem até quase o amanhecer.

Ilha de Algodoal (a ilha do amor)

A Ilha de Algodoal, que não se chama assim, e sim ilha de Maiandeua é um dos pontos preferidos de turismo. O Clima bucólico, a predominância da natureza e a hospitalidade dos que lá vivem, chamam a atenção de quem quer relaxar e curtir.

O nome original tem origem tupi e significa “Mãe da Terra”. Também é formada por três outras ilhas: Fortalezinha, Camboinha e Mocooca.

Quer tomar uma cerveja gelada, namorar ao ar livre e se divertir?  Você tem por obrigação ir para lá.

Visite: www.algodoal.com

Praça da República

O que uma mesma praça pode abrigar? Teatro da Paz, Bar do Parque, Teatro Experimental Waldemar Henrique e o Núcleo de Artes da Universidade Federal do Pará.

Localizada no coração de Belém, a Praça da República concentra, aos domingos, durante a feira de artesanato as mais diversas pessoas: casais gays desfrutam de um domingo qualquer; familias passeam com seus cachorros de raças finas; vendedores e seus variados produtos; descolados com roupas transadas bebericando cerveja gelada, dentre outros.

Nos domingos é certo a presença de muitas pessoas, independente da finalidade, estão ali para apreciar a beleza do lugar.

A praça fica na Avenida Presidente Vargas (que todo mundo já conhece né).